IMG_0348

Os primeiros passos e uma concepção inclusiva

Primeira instituição filantrópica de Niterói, a Associação Fluminense de Amparo aos Cegos (AFAC) foi fundada em 1º de maio de 1931 por um grupo de pessoas da sociedade fluminense que já tinha a visão da importância da inclusão. O objetivo inicial era azilar a pessoa com deficiência visual e, ao mesmo tempo, dar a ela uma função social. Não por acaso, a primeira sede da instituição foi num galpão, localizado no bairro da Boa Viagem, que também funcionava como fábrica de vassouras. Ou seja, além de moradia, o espaço oferecia uma atividade laboral para o cego.

Após sete anos de funcionamento, a sede é transferida para uma casa na Rua Santa Rosa, nº 82, no bairro de mesmo nome. Ao longo desses anos, a AFAC, sempre procurando se adaptar aos novos tempos, vivenciou inúmeras políticas de assistência à pessoa com deficiência. Por isto que, em 1994, em conformidade com as regras nacionais e internacionais de atendimento ao deficiente, redireciona suas ações numa perspectiva totalmente inclusiva e transformou-se em Centro de Habilitação e Reabilitação (CHR), deixando, assim, de funcionar como abrigo.

Mudança de perfil e crescimento institucional

Foi uma grande guinada. Como CHR, a AFAC permitiu ao cego acesso aos estudos, à preparação para o trabalho e a vida social, sem que, com isso, fosse necessário separar-se da família. Ou seja, tornava-o capaz de exercer sua cidadania. Mais: era a forma de abandonar a segregação que imperava na concepção de atendimento ao deficiente. Uma vez afinada com as políticas atuais, a AFAC criou, em 1995, o programa de desenvolvimento infantil, cujo convênio com a prefeitura de Niterói tornou possível atender bebês e crianças com deficiência visual.

Com o crescimento institucional, a associação se viu obrigada a procurar um novo espaço para ampliar e melhor o atendimento oferecido. Em abril 2005, adquire sua atual sede, no Ponto Cem Réis, no Fonseca, sendo inaugurada em 26 de agosto desse mesmo ano. A mudança deu condições a AFAC de se colocar entre as maiores instituições nacionais voltadas para o deficiente. A mudança física e de posicionamento sobre o trato com a pessoa com deficiência marca o contexto histórico e de acúmulo de conhecimento conquistado pela associação desde sua fundação.

IMG_0350
IMG_0351

Pioneirismo em ações e reconhecimento nacional

Um ano após a inauguração da nova sede, teve início, em 2006, um projeto pioneiro no Estado do Rio: o treinamento de cão-guia para cegos. A ideia era capacitar adestradores para o treinamento dos animais. A responsável técnica foi a paulista Sandra Buncana de Camis, cuja experiência no treinamento de cães-guias deu ao projeto sinônimo de excelência. Em 2007, a cadela Raissa seria o primeiro cão-guia entregue pela AFAC e, posteriormente, a cadela Zuca. A iniciativa foi um esforço da associação que, sem conseguir um patrocínio, pôs fim ao trabalho em 2008.

Também em 2006, a associação e a Fundação Municipal de Saúde de Niterói iniciaram uma parceria através da formalização do contrato de prestação de serviço para Sistema Único de Saúde (SUS). Esse trabalho culminaria, quatro anos depois, no credenciamento da AFAC como uma das primeiras instituições brasileiras habilitada como Unidade de Reabilitação Visual, decretado pela portaria nº 27, de 19 de janeiro de 2010. Com a habilitação, passou a atender a demanda dos deficientes visuais do Estado do Rio com atendimentos e serviços especializados.

Avanços permanentes e novas conquistas

A instituição oferece habilitação e reabilitação, com acompanhamento, manutenção dos ganhos adquiridos e a prevenção de deformidades, assim como a aquisição e adequação de órteses e próteses pelos pacientes. Todo esse trabalho é realizado por uma equipe multiprofissional que faz parte do corpo técnico da associação. Já em 2012, a AFAC passar a ser incluída na Rede Estadual de Oftalmologia, sendo seu atendimento regulado pelo Sistema Estadual de Regulação (SER), como referência para a Reabilitação Visual e a dispensação de óculos.

Para mostrar que está em constante adequação, em 2014 a AFAC foi habilitada para o Serviço de Reabilitação Intelectual, tornando-se, assim, um Centro Especializado de Reabilitação II, o chamado CER-II, por promover atendimento ao deficiente visual e intelectual. Esse novo serviço é destinado ao paciente com alterações no processo de desenvolvimento, interação social, comportamento e comunicação que necessitem de adaptações a fim de garantir o aprendizado. Hoje a AFAC atende todo território fluminense, conforme preconizado na legislação estadual de saúde e nos instrutivos de reabilitação do Ministério da Saúde.

IMG_0353
AFAC - Rua Padre Leandro, 18 - Fonseca - Niterói - RJ - CEP: 24.120-135 I Telefone: (21) 2717-2822 (21) 2722-4898 (21) 99821-8622 (21) 3617-2851